55,2% dos brasileiros conviveram com algum grau de insegurança alimentar durante os últimos meses de 2020

O agravamento da pandemia de Covid-19 trouxe consequências em diversas áreas do País, principalmente para pessoas vulnerabilizadas socialmente. O número de famílias vivendo com insegurança alimentar cresceu no Brasil, chegando a 19 milhões de brasileiros que passaram fome nos últimos meses de 2020. 

Segundo o Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil, realizado pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan), 55,2% dos lares brasileiros, 116,8 milhões de pessoas, conviveram com algum grau de insegurança alimentar. 

9% das famílias brasileiras vivenciaram insegurança alimentar grave, ou seja, passaram fome, nos últimos meses do ano passado. A pesquisa foi realizada durante o mês de dezembro de 2020, com dados referentes aos três meses anteriores. 

O Governo do Estado do Ceará fornece ações para tentar combater a fome no Estado. Além disso, durante o período da pandemia, inúmeras iniciativas civis também se mobilizaram para ajudar com doações. Esses projetos buscam ajuda da população através de doações de alimentos e dinheiro. 

>> Governo do Ceará amplia número de beneficiados no auxílio financeiro para os profissionais do setor de eventos; Confira resultado

Conheça algumas iniciativas civis e saiba como realizar doações:

MTST Ceará

@mtstceara 

O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto do Ceará já realiza diversas ações para ajudar comunidades que vivem em vulnerabilidade social no Estado. Durante a pandemia, o MTST Ceará ampliou a cozinha comunitária para outros espaços, através de uma campanha de quentinhas solidárias. O MTST Ceará também conta com um fundo de solidariedade onde é possível fazer doações para colaborar com a campanha e ajudar mais famílias.

Ser Ponte Fortaleza

@serpontefortaleza

O Ser Ponte Fortaleza é um projeto criado por um grupo de pessoas da sociedade civil que vem ajudando famílias que se encontram em extrema miséria. O projeto fornece uma renda de R$ 180 por família, sem burocracia e de forma rápida. Em 2020, o projeto conseguiu alcançar  210 famílias. Atualmente, eles buscam doações para conseguir ampliar a ação até dezembro deste ano. 

Instituto Trêsmares e Associação de Moradores do Titanzinho

@institutotresmares / @associacaotitanzinho

O Ei, Budega é um projeto desenvolvido no bairro Serviluz, em Fortaleza, e teve início em 2020 a partir de um financiamento da Embaixada da Suíça no Brasil. No começo, 15 famílias foram beneficiadas com um valor de R$ 100 para ser utilizado em um mercadinho local. Em 2021, o projeto conta também com a colaboração da Associação de Moradores do Titanzinho, Quilo do Amor e Comissão Titan e a meta é ajudar 60 famílias.

Auê do Amor

@auedoamor

O Auê do Amor é um movimento criado no início da pandemia que tem como objetivo prestar assistência a pessoas em situação de risco e vulnerabilidade social em Fortaleza. Com as doações recebidas, o projeto já conseguiu ajudar famílias de mais de 40 comunidades da capital e região metropolitana. 

Mutirão do Bem Viver – Ceará

@sociedadedobemviver 

Durante a pandemia, os voluntários do Mutirão do Bem Viver arrecadaram cestas agroecológicas e mistas de alimentos produzidos pelo MST e cooperativas, que foram distribuídas para diversos territórios. O projeto já ajudou centenas de famílias através da alimentação saudável e agroecológica e, neste ano, iniciou sua 2ª fase mobilizando o desenho e o cultivo de uma agrofloresta junto à Aldeia da Mangabeira, território que passou por um incêndio ilegal em outubro de 2020.

Onda Solidária Fortaleza

@ondasolidariafortaleza

A ação social Onda Solidária teve início no começo de 2020, após o decreto de pandemia de Covid-19, e contou inicialmente com a união do Projeto Surf Ladies e o Instituto Brasileiro de Família da subseção do Ceará – IBDFAM/CE com o objetivo de arrecadar e distribuir cestas básicas e kits de higiene nas comunidades do Titanzinho e da Barra do Ceará.

Conheça iniciativas de combate à fome e promoção da segurança alimentar do Governo Estadual do Ceará:

Mais Nutrição

O Governo do Ceará, por meio da Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS), iniciou em 2019 o Mais Nutrição. O programa conta com a distribuição de alimentos para Organizações da Sociedade Civil de Fortaleza, Caucaia e Maracanaú, que repassam as doações para as famílias atendidas por elas. 

Durante o mês de janeiro deste ano, o Governo do Ceará lançou o III Edital de Credenciamento do Mais Nutrição, buscando alcançar novas famílias. No total, o programa já realizou a doação de mais de 655 toneladas de alimentos, beneficiando 27 mil cearenses com frutas, legumes, verduras, polpas e mix de alimentos. 

Mais Infância

O Cartão Mais Infância é destinado a famílias cearenses com crianças de 0 a 5 anos e 11 meses que vivem em situação de alta vulnerabilidade social. O benefício é concedido a famílias inscritas no Cadastro Único Para Programas Sociais (CadÚnico), que recebem uma transferência de renda mensal, no valor de R$ 85.

Durante o ano de 2020, 48 mil famílias foram beneficiadas pelo projeto. Em janeiro deste ano, o governador Camilo Santana anunciou uma ampliação de 45% para o ano de 2021, alcançando aproximadamente 70 mil mães com filhos na primeira infância.

Contato

Email: [email protected]

Endereço: Av. Historiador Raimundo Girão, 366 / Praia de Iracema – Fortaleza-CE

© Copyright 2021 Arte Urgente. Todos os Direitos Reservados.